Saúde Mental: O Conceito

Sabemos que Saúde Mental é um conceito de natureza polissêmica, e por conta disto, suas fronteiras são imprecisas. E, para termos uma compreensão mais ou menos clara, é preciso que se faça um longo percurso numa perspectiva histórica, que não é o nosso caso aqui.

Saúde mental refere-se ao nosso bem-estar cognitivo, comportamental e emocional – é tudo sobre como pensamos, sentimos e nos comportamos, quer numa perspectiva interpessoal e intrapessoal. O termo “saúde mental” às vezes é usado para significar uma ausência de um distúrbio mental, mas não é, necessariamente, só isto.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), a saúde mental é:

“… um estado de bem-estar em que o indivíduo percebe suas próprias habilidades, pode lidar com o estresse normal da vida, pode trabalhar de maneira produtiva e ser capaz de contribuir com sua comunidade”.

Isto implica dizer, ainda segundo a OMS, que que a saúde mental “não é apenas a ausência de transtorno mental”. Saúde mental é um conjunto de processos que envolve a pessoa na sua condição de ser no mundo, portanto, tem relação direta e estreita com segurança, transporte público, trabalho, acesso aos sistema de saúde, saneamento básico, lazer, enfim, tudo que implica a presença e relação da pessoa no mundo.

Portanto, o conceito de Saúde Mental é muito ampla, e, como disse acima, é polissêmica, não cabe numa definição única e fechada, pois, este é um assunto que se desdobra culturalmente.

Só a título de exemplo, neste sentido, Jahoda (1958)[1] subdividiu a saúde mental em três domínios:

1) auto-realização, na medida em que os indivíduos são capazes de explorar plenamente seus potencial;

2) senso de domínio sobre o meio ambiente;

3) e senso de autonomia, ou seja, capacidade de identificar, enfrentar e resolver problemas.

Já para Hagerty, Lynch-Sauer, Patusky, Bouwsema e Collier (1992)[2]“o conceito de senso de pertencimento” é determinante dentro para se entender o conceito de “saúde mental”. Várias pesquisam aponta que a “inclusão social” é determinante para a Saúde Mental( Evans e Repper, 2000[3]; Sayce, 2001[4]; Cobigo eStuart, 2010[5]; Huxley e Thornicroft, 2003[6]; Parr, 2007[7]).

Portanto, como podemos observar, a saúde mental tem como foco a pessoa humana na sua singularidade, para depois se estender nos processos relacionais que esta pessoa está envolvida, e, neste sentido, a conceito fica condicionados à um conjunto de fatores e particulares sociais e culturais.


[1] Jahoda M. Current concepts of positive mental health. New York: Basic Books, 1958.

[2] Hagerty, B. M., Lynch-Sauer, J., Patusky, K. L., Bouwsema, M., & Collier, P. (1992). Sense of belonging: A vital mental health concept. Archives of psychiatric nursing, 6(3), 172-177.

[3] Evans, J., & Repper, J. (2000). Employment, social inclusion and mental health. Journal of psychiatric and mental health nursing, 7(1), 15-24.

[4] Sayce, L. (2001). Social inclusion and mental health. Psychiatric Bulletin, 25(4), 121-123.

[5] Cobigo, V., & Stuart, H. (2010). Social inclusion and mental health. Current Opinion in Psychiatry, 23(5), 453-457.

[6] Huxley, P., & Thornicroft, G. (2003). Social inclusion, social quality and mental illness. The British Journal of Psychiatry, 182(4), 289-290.

[7] Parr, H. (2007). Mental health, nature work, and social inclusion. Environment and Planning D: Society and Space, 25(3), 537-561.

Deixe o seu comentário

error: O conteúdo está protegido !! Vá criar o seu!
google.com, pub-6092656382618265, DIRECT, f08c47fec0942fa0